COMUNICADO ANDIGRAF – COVID 19

Postado em: março 24, 2020

COMUNICADO ANDIGRAF – COVID 19

Com o avanço rápido da Covid-19 no Brasil, as medidas de quarentena foram acertadas. Devemos tentar achatar a curva de contágio e alongá-la para o maior período possível, afim de que nossa rede hospitalar pública e privada tenha capacidade de atender a todos que necessitem. O vírus passará por todo o Brasil e a nossa missão, como bons brasileiros que somos, é de ajudar as autoridades, ficando em casa.

Porém, algumas indústrias precisam funcionar para suprir a população de alimentos, remédios e itens de higiene e limpeza, bem como, as lojas, supermercados e farmácias que revendem estes itens. Isso inclui toda a cadeia de fornecimento, passando por nossos valorosos caminhoneiros.

A Indústria Gráfica não é diferente. Considerada a Indústria das Indústrias, pois atende os pedidos de embalagens, rótulos, etiquetas e vários itens desta cadeia fundamental de consumo, inclusive com a participação na divulgação das informações governamentais e privadas, através da imprensa escrita e da publicidade. Somos mais de 18 mil gráficas convencionais, digitais e de comunicação visual em todo o Brasil, e, na sua maioria, formada por micro e pequenas empresas, as quais possuem pouco ou nenhum capital de giro, devido às crises enfrentadas nos últimos 03 anos, e empregam mais de 90% da mão de obra do setor.

É necessário preservar os empregos dos colaboradores, que estão juntos com seus patrões descapitalizados, sem recursos para pagar corretamente elevados volumes de demissões e que precisam preservar seus quadros de colaboradores, treinados com afinco, durante anos. É necessária a intervenção dos bancos, grandes fornecedores e dos Governos nesta corrente de apoio às micro e pequenas empresas, ofertando capital de giro, sem pedir certidões, avalistas ou garantias reais, pois estas pequenas empresas, na sua maioria, já perderam a capacidade de tomadoras de crédito com essas exigências. Recentemente, o BNDES liberou 10 bilhões de reais, os quais, sem a intervenção Governamental junto à Febraban e aos bancos públicos e privados, só beneficiarão às grandes empresas.

Por outro lado, cabe ao micro e pequeno empresário priorizar em suas compras e pagamentos, igualmente os micro e pequenos fornecedores, fazendo as negociações e prorrogações necessárias junto a bancos, grandes fornecedores e governos, que têm a capacidade e o capital de giro para suportar a prorrogação de 60 a 90 dias ou mais, período que julgamos necessário para atravessar essa quarentena, que deve se estender por um período bem maior que os primeiros quinze dias solicitados.

Perdemos o ano de 2020, com previsão de crescimento negativo, e, justamente no ano que esperávamos iniciar a recuperação. Porém, a Industria Gráfica é resiliente e tem uma capacidade fantástica de superação. Devemos crescer rapidamente e voltar aos números anteriores, já a partir do próximo ano. Devemos reduzir nosso pessoal ao mínimo necessário à produção, e tomar todas as medidas necessárias afim de minimizar os riscos de contágio.

O Brasil precisa de nossa capacidade produtiva e não deixaremos de lutar para que nada falte aos brasileiros. Saúde Brasil!

Atenciosamente,

A DIRETORIA

Compartilhar este post