A IMPRESSÃO TÊXTIL E SUAS FACETAS

Postado em: março 9, 2020

A IMPRESSÃO TÊXTIL E SUAS FACETAS

Nos últimos anos, a impressão digital têxtil vem ganhando espaço e abrindo portas para novos conceitos dentro das empresas têxteis brasileiras e de todo o mundo. Capacidades de personalização e produção sob demanda atraíram os olhares de diferentes mercados, da moda das passarelas ao vestuário esportivo, da sinalização à decoração.

A FESPA Digital Printing vem conversando com diferentes especialistas para saber de suas visões e o impacto da impressão digital têxtil na indústria. Confira abaixo a entrevista com Diego Genari, gerente de Desenvolvimento de Tintas América Latina da DuPont, que possui para este mercado a linha de tintas Artistri.

Genari destaca o panorama da tecnologia no país, os mercados atingidos, os benefícios e as distinções entre as tecnologias dentro da própria estamparia digital. Dentro da FESPA Digital Printing 2020, de 18 a 21 de março no Expo Center Norte, em São Paulo, você poderá conversar com o time da DuPont e outros players em equipamentos e soluções de impressão digital. A inscrição gratuita para visitar a feira está disponível em: www.fespadigitalprinting.com.br/visitar.

Confira a entrevista:

Há um aumento no interesse pelas soluções de impressão digital têxtil no Brasil? Quais os motivos que levam a isso?

Diego Genari: Com certeza. O que as empresas estão começando a considerar em suas decisões são os investimentos iniciais nos equipamentos e também em outros equipamentos de grande porte necessários para impressão convencional. Atualmente não só os equipamentos, mas as tintas digitais estão com preços mais acessíveis e com alta qualidade. Além disso, a impressão convencional ainda exige um processo de pré-impressão intenso, como a gravação de “telas” silkscreen, que depois exigem um espaço de armazenagem muito grande, custos e a necessidade de uma “cozinha” interna de tintas. Portanto, quando as empresas chegam em seu nível de capacidade máximo, elas consideram investir em sua nova capacidade produtiva já com equipamentos digitais ao invés de equipamentos de impressão convencionais.

Quais os benefícios "chaves" da impressão digital têxtil?

Diego Genari: Além de um processo mais simples e mais produtivo, a impressão digital traz facilidade e agilidade em todo o processo de estamparia. Algo de extrema importância hoje em dia é o impacto ambiental gerado durante o processo de impressão. Este gera altos consumos de água, que no processo de impressão digital por pigmento, por exemplo, elimina totalmente as cozinhas de tintas, a gravação de telas e o uso excessivo de água. Estudos globais mostram que imprimir em digital traz uma economia de até 10 vezes no consumo de água quando comparado com o processo de impressão convencional. Quando comparamos, dentro do processo de impressão digital, os corantes ácidos e reativos versus pigmentos, ainda há ainda menos uso de água e energia no processo, além de ser extremamente simplificado.

Quais mercados/segmentos ela pode atingir?

Diego Genari: Dentro da estamparia em geral, a impressão digital é muito versátil, podendo desenvolver-se em diversos tipos de substratos, desde um algodão até elastanos, poliamida, etc. Da moda esportiva até a moda praia. Decoração é outro mercado que está bastante em alta para a estamparia digital, pois é muito versátil e pode atender facilmente o desejo de customização dos consumidores. Além disso, há um mercado crescente de comunicação visual em busca de alternativas para os já conhecidos PVC e vinil.

Quais as diferenças entre as tecnologias de tintas para impressão digital disponíveis no mercado atualmente?

Diego Genari: Para a impressão têxtil há basicamente 5 tipos de tintas existentes: reativas, ácidas, dispersa direta, pigmento e sublimáticas. A escolha de cada uma delas vai depender tanto do tipo de substrato a ser impresso quanto da necessidade de resistência a lavagem, luz UVA e fricção. Estas últimas três necessidades, obviamente, estão totalmente relacionadas com a aceitação de cada substrato a uma determinada tinta. As tintas reativas são mais usadas em fibras celulósicas como o algodão. As ácidas muito empregadas em tecidos sintéticos como o Nylon e também em seda. As dispersas diretas são basicamente empregadas em sintéticos como poliéster, Nylon e Lycra. Já as tintas pigmento são extremamente versáteis, desde que o tratamento do substrato esteja preparado para receber a tinta para que esta possa aderir-se bem. As sublimáticas tem diversas aplicações incluindo poliéster e poliamida, ou mesclas com outros fibras. Como pode-se notar, a impressão digital hoje atende diversos mercados e substratos, garantindo não só a qualidade do impresso, mas também as características necessárias para se ter sucesso em diferentes aplicações, com mais rapidez (por ser um processo bem mais simples que o convencional) e menos impacto ambiental na produção (também em comparação com o processo de estamparia convencional).

A economia de recurso é um dos principais fatores da adoção da impressão digital têxtil hoje. Qual é essa economia?

Diego Genari: Falar sobre números exatos é um pouco complicado, pois cada empresa terá uma realidade diferente e que acarretaria em diferentes estruturas de custos e, consequentemente, em economia. É sabido que o investimento inicial atual em equipamentos de impressão digital pode ser bem menor que os equipamentos de impressão convencional, considerando-se diferentes fabricantes. Contudo, novamente, seria difícil exemplificar com números gerais algo que é particular de cada empresa. Uma grande economia pode sim ser vista em se tratando de investimentos em impressão digital com o uso de tintas pigmento e sublimática, pois estas tecnologias não exigem investimentos em equipamentos pesados de vaporização, lavagem e secagem, por exemplo. Além disso, o custo de toda a água e energia empregados nestes processos é extremamente maior se comparado ao processo de impressão com pigmento e sublimação.

Quais as soluções que a DuPont disponibiliza para esse mercado?

Diego Genari: DuPont™Artistri® tem um portfólio de tintas para estes 5 segmentos de impressão digital (reativas, ácidas, dispersa direta, pigmento e sublimáticas), sendo que dentro de cada categoria há diferentes linhas para diferentes equipamentos e cabeças de impressão, com baixa, média e alta viscosidade. Dentro do universo da estamparia digital têxtil a DuPont pode atender praticamente a todas as necessidades do mercado com suas tintas de impressão.

A DuPont acredita estar um passo à frente do mercado no desenvolvimento de tintas pigmento. Enquanto o mercado em geral dedicou seus esforços para outros segmentos como sublimação e reativo, por exemplo, visando um retorno de mais curto prazo, a DuPont entendeu anos atrás que o pigmento seria o futuro da impressão digital têxtil, e desde então dedicou-se a investir esforços em P&D, antecipando tendências e um forte conhecimento sobre esta tecnologia. Certamente foi uma aposta de longo prazo mas que já começa a dar os primeiros frutos agora. A impressão digital têxtil por pigmento projeta um significativo crescimento mundialmente nos próximos anos, sendo um processo mais simples, menos agressivo em termos de utilização de recursos naturais, com menor investimento inicial por parte de pequenos e médios empreendedores e que atende à velocidade crescente da moda rápida (fast fashion).

Compartilhar este post